sexta-feira, 13 de agosto de 2010

De uma sexta à tarde

De minha imensa janela, vi o céu se esconder arroxeado atrás de algumas mesmas pedras cariocas. Antes do sol sair de seu palco, pintou algumas calmarias em minha vermelha parede e em meus olhos.
Curioso como três minutos esquecidos fazem mudar um sentimento ou uma dor de cabeça.
Me atiro aos livros recostados à minha mesa, dessa vez com um sorriso pacífico: Eles encontrarão tempo dentro de mim.

3 comentários:

  1. Que lindo! *-*

    Ps: obrigada pela visita ao blog :)

    ResponderExcluir
  2. Você escreve de um jeito que faz o meu lado mais poético escutar.

    Marcela(tambem)

    ResponderExcluir